Projeto Skate

Tenho uma alma radical, desde sempre, mas nem sempre tive coragem para assumir riscos e sempre tive um filtro ativo e atuante de vergonha que não me permite muitas coisas. Sempre achei legal skate, patins, kart, paint ball e todo tipo de joguinhos mas nem sempre me permiti arriscar.Atualmente, depois de me envolver com mais esportes e aprender a adorar adrenalina, comecei a me permitir mais e algumas coisas legais surgiram.

O Skate apareceu de um ato de consumismo, a faculdade havia entrado de greve, eu não queria ser julgada, nem por mim mesma, por ficar a toa durante esse período e queria experimentar trabalhar de carteira assinada. Primeiro emprego é uma historia a parte, mas foi com ele que adquiri meu primeiro cartão vale alimentação e fazia refeições sempre em casa, economizava nos lanches e no final do mês acumulava uma sobrinha.

E um dia desses entrando no mercado e procurando coisas interessantes que meus pais não comprariam para mim, passei na seção de brinquedos e vi o skate. Minha vontade foi pegar na hora, mas tenho um auto pacto para reduzir decisões muito consumistas. Cheguei a conclusão que não compraria de imediato, ia conversar com alguém que conhece mais de skate que eu, que não conheço nada, tentar economizar no lanche e passar um bom período de analise para ver se eu não desistia dessa ideia maluca.

E passado alguns meses, a ideia fixa persistia e eu marquei com uma amiga de ir buscar o skate depois do trabalho. Fui para o trabalho de ônibus, a moto ficou em casa e naquele dia sai do mercado com skate debaixo do braço, uma imagem engraçada, baixinha feito eu carregando skate. E mais engraçado ainda foi que eles passou meses sem sair do plastico guardado em casa. Faltou coragem, muita coragem para se arriscar por ai e aprender algo novo e inusitado.

E, nas ferias do ano passado, surgiu um salvador da pátria, um amigo que recentemente se mudará, tinha um skate e disposição para tentar andar nas tardes livres. E eu saia de moto, com skate preso nas costas, outra imagem no minimo estranha, toda empolgada para começar a usar esse quase artigo de decoração do meu quarto. No primeiro dia tiramos o plastico do skate e aprendi basicamente a ter coragem de ficar em pé nele e dar os primeiros pequenos impulsos, o medo mal deixava sair do lugar.

Os avanços não foram tão grandes e só me lembro de um tombo mesmo. O engraçado de tentar algo novo é que você começa a perceber o valor de tudo que os mais experientes fazem. Cheguei a assistir alguns videos, querer melhorar e equipar melhor meu skate. Tive vontade de aprender manobras e andar por lugares diferentes. Mas, com o final das ferias, o meu momento projeto skate ficou suspenso, o salvador da pátria não se encontra mas tão disponível.

E ainda que o projeto não esteja indo de vento em popa, o skate fica ali, em cima do armário, com uma significativa camada de poeira. Fica a espera de um momento, de uma pessoa ou de ferias novamente em que ele possa curti tardes ensolaradas e passeios de motos.

8D

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s