Surfando

Quem me dera fosse mais uma de minhas aventuras! Dessa vez não, estou surfando em matéria acumulada! Provas chegando e a poesia do título Caos no quarto perdeu a rima, a bagunça ficou mais literal que o necessário. Reza a lenda que gavetas bagunçadas significam cabeça bagunçada, se for verdade, é sinal que o trem está feio mesmo, mineirês  a parte.

Na verdade, não deixa de ser uma aventura, não tão planejada, essa historia de sempre acabar estudando de véspera. Os rompantes intelectuais de madrugadas viradas com café, livros e anotações tem o seu espirito radical. Os avisos de professores que constantemente aconselham a não deixar acumular a matéria ficam ecoando e mandando pontadinhas de adrenalina  no sangue e o relógio se torna mais enfático no tic-tac.

Para piorar, surgem as necessidades de trabalhos, daqueles que precisam de conselhos, dos bichos que querem atenção, de mãe querendo ajuda. E quanto mais obrigações, mais vontade de escrever em blog, ler livros, observar uma mosca, filosofar sobre existência. Procrastinação em todo lugar. A fome aparece de meia em meia hora, a necessidade de arrumar o quarto fica paralisante e a véspera fica cada vez mais véspera.

A historia é sempre a mesma, tenho anos de experiencia nisso. É demorar muito tempo para agrupar todo material e se incomodar em organizar o local de estudo. Organizar dá fome e lá vai um tempinho de lanche. Ai lembro que preciso ligar o computador para imprimir lista de exercício, por acaso checo os e-mails e quando vejo já estou escrevendo mil coisas por ai. E agora, pode parecer hora de parar com a procrastinação, dai o sono chegou. Fica para amanhã, hora de dormir. Descansada quem sabe o estudo flui melhor.

xP

Anúncios

5 comentários em “Surfando

  1. é a incrível arte de deixar tudo de véspera, talvez eu diria que é pra matéria ficar mais fresquinha na mente ! Hahahahahahaha
    Juro que tenho vergonha disso, mas é a triste realidade !

    Curtido por 1 pessoa

  2. Arte ou jeito brasileiro de ser, poeticamente versando, diria que quem não o teve, ainda o vai ter.
    Mas deixemos isso para outra hora e decifremos seu bagunçar,
    Quando li que haveria até poema, pensei logo em vir pra cá,
    Mas para meu pesar o Caus não inspirou os versos,
    Vi apenas a bagunça descrita no mais perfeito “mineirês”,
    E resolvi dar uma mãozinha para alegrar o espaço,
    Quem sabe com isso não se cria um laço,
    Um pãozinho de queijo que é tudo de bom,
    Um deixar por escrito o que pode ser dito,
    Um filosofar em versos simples e amigo,
    Um parabenizar pelo esforço no estudo,
    Que por também falar de política,
    Dizem eles que isso é um absurdo,
    Talvez por quererem um povo manso,
    De fácil manobra, “ajumentados” como gosto de dizer,
    Enfim,
    Para terminar esses meus versos,
    Se de exemplo podemos mostrar,
    Vá em frente Anna,
    Pois torcida é que não irá lhe faltar. 😉

    Curtido por 1 pessoa

    1. Que surpresa agradável!
      Admito que quando mais nova até me arriscava mais pelos versos, hoje em dia falta coragem.
      Obrigada pela mãozinha em alegrar o espaço!
      Mas quem sabe lendo versos com mais frequência, a inspiração ritmada adormecida não dê o ar da graça.
      🙂

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s