Distâncias relativas

Hoje em dia com a facilidade de comunicação instantânea tornam as distâncias mais relativas do que nunca. Vira e mexe me comunico com meus pais ou minha irmã, que moram comigo, por plicativos ou redes sociais, por dias nossos horários não são compatíveis. E da mesma forma o contrario pode acontecer, alguém situado em uma região distante pode ser completamente presente.

Sempre enxerguei a distância como um motivo para se tratar uma amizade com ainda mais zelo, graças aquele pequeno empecilho. E pelo interesse e pelas inúmeras ferramentas e possibilidades que redes sociais promovem me senti muito ligada a quem não necessariamente estava morando no mesmo estado que eu. Nem é uma questão de volume de conversas e sim identificação, leituras em comum ou simplesmente se sentir em sintonia.

A impressão de proximidade pode ser tão grande que por muito tempo pode despertar o interesse de reduzir as distâncias. E é ai que mora o perigo, muitas expectativas, pouco pé no chão. Não aconselho misturar as coisas, ainda que o imã funcione perfeitamente, de forma mutua, a distancia e por meio da internet, ninguém tem como prever como funcionará em menores distâncias.

Não me parece ter explicação como ocorre. Será que em menores distâncias surgem maiores obstáculos? Em algum momento as expectativas são transformadas em obstáculos potencias, se sim só era bom ter aprendido mais cedo. E os dias chuvosos, frios e cinzentos carregam a nostalgia e um misto de questões sem respostas, alguns nós na garganta duradouros.

Em um retrocesso de vários anos, chama acessa, ligação viva, envolvimento claro, desvanecendo quando tudo deveria se tornar mais fácil. Para boa cética que sou, bom demais para tornar realidade. Ainda que, na alma tudo se desenhou de forma tão real, que podia até tocar. Mesmo eu que nunca fui de sonhos, vire e mexe acordava, a sorrir e lembrar.

Um longo e denso vazio aberto, evidente apenas em momentos de descaso, evitados ao máximo. E se as histórias reais não são favoráveis, mergulho na ficção, ou seja lá onde, as coisas acontecem. As memorias e lembranças ficam espalhadas no quarto, nos arquivos do computador ou em resquícios de interações em rede social. As lembranças insistem em surgir, na menção de algum nome, música, noticia ou coincidência.

A vida sempre provoca e brinca com sentimentos que buscamos evitar. A certeza é o aprendizado, a maturidade e tudo aquilo que foi bom, fica guardado com carinho. Todos os momentos e pessoas especiais que me tornaram quem sou hoje são extremamente importantes. Independente de quem quis ou não se fazer presente na continuidade, em meio há tantos caminhos, tantos encontros e consequentes desencontros.

She Wolf  (feat. David Guetta)

A shot in the dark
A past lost in space
Where do I start?
The past and the chase?
You hunted me down
Like a wolf, a predator
I felt like a deer in love lights

Anúncios

6 comentários em “Distâncias relativas

  1. Realmente faz muito sentido! Tenho amigos realmente próximos que vi apenas poucas vezes em anos, mas que mantenho quase diário o contato pela internet. E tem pessoas que convivemos diariamente mas de maneira vazia.
    Acho que o que vale é a intenção e a vontade de estar ou não presente na vida de alguém (:

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s