Azedinha

Resultado de imagem para azedinha bala

Acabo de lembrar dessa bala hoje, não pelo gosto, e sim pelo nome. Agora já ficou para trás, de ontem, mais tenho que admitir, meu segundo nome coincidiu com o da bala, e o primeiro: Muito. Pior que foi exatamente isso, muto azedinha resume meu estado de espirito durante o dia de ontem desde cedo. Confesso que não estava nem dando conta de me aguentar, qualquer mosquitinho me tirava do serio.

De certa forma, era de se esperar, prova importante no final do dia, matéria acumulada. Ai junta que o frio resolveu chegar para ficar e mais um motivo para se despedir do bom humor. Gosto de sol, calor e roupas leves. Essa sobreposição de casacos, cobertores, janelas e portas fechadas é tudo muito claustrofóbico. E para abrilhantar o dia uma alergia medonha desfigurando meu rosto.

Já lancei todas as teorias possíveis, alergia a alimentos quentes, proteína ou iodo. Parei um tempo na teoria do stress e essas manchinhas vêm e vão direto. Mas dessa vez, elas capricharam, o rosto inteiro foi brindado e incha, parece queimadura, coça, resseca. E eu não sei se é o humor piorando a alergia ou a alergia piorando o humor. A alegria do dia que foi almoçar, acentuou as manchas e me fez ficar um tempinho refletindo sobre o que comer.

O estudo nem era uma questão de aprender o conteúdo e sim me provar que não era tão difícil. É uma preocupação que sempre tenho de ter véspera de provas: criar segurança que com o conhecimento que tenho consigo desenvolver a prova. Sempre tem algum pre-requisito que tenho que revisitar. Gratidão resumo o sentimento que tenho por alguns canais com lembretes e dicas de matérias básicas, como o canal do “me salva!” no youtube. Meia hora de sair e reaprendo a calcular matriz inversa, frações parciais e transformadas de Laplace.

A prova estava marcada para oito horas da noite, seis horas o frio já convida café e cama enquanto eu continuo minha micro super revisão dinâmica. Isso continua até que me assusto com a hora e saio apressada. De tanta roupa mal consigo subir na moto. E “voilà”! Vai ter vento frio no rosto já estragado sim! Olhando minhas mensagens e ao chegar próximo ao local de prova, percebo que o animo da galera não é muito melhor.

Não sei se é coisa de estudante ou se é tipico da engenharia, por mais inseguro que você se sinta, sempre tem alguém pior. E aguardamos alguns minutos até que o professor chegasse e percebo que esqueci a calculadora. Quando os professores liberam a HP, nem comemoro, sei usar bem menos que deveria e os professores sempre consideram que vamos usar cola, capricham nas provas.

Simplesmente eu e minha HP não criamos laços, falta cumplicidade, há, na duvida, sempre uso ela com a cientifica do lado e acaba que uso a cientifica, essa eu domino! Só que não foi dessa vez, ambas em casa. Professor chegou, abriu o espaço reservado, eu com a cara de sofrimento, cheia de marcas, fui como quem caminha para forca. Separei o material e sentei em uma cadeira que tinha prova em cima da mesa.

A prova estava enorme, teríamos no máximo três horar para fazer, nesse caso sairíamos no frio de onze da noite. Faltei todas as outras aulas do dia para concentrar para essa prova e para ver se a alergia dava trégua. As primeiras questões eu tinha visto parecida no livro, no meio tinha algumas com muito texto e no fim aparecia mais alguma familiar. Comecei do começo, quase nunca faço isso.

Felizmente esqueci alergia, coceira, esqueci o frio e fui desbravando a prova. Na primeira dei uma resposta vaga e deixei um espaço para pensar mais caso sobrasse tempo. E assim fiz com a maioria das questões e depois da ultima fui voltando e desenvolvendo mais um pouquinho. Se acertei tudo ou nada, não faço ideia, aprendi no meu curso a não criar expectativas, mas depois de tanto sofrimento de véspera, a prova em si foi até agradável.

Voltei para casa até mais leve, a cachorra que tinha fugido, me recepcionou na rua, toda serelepe me reconheceu de longe. Acredito que hoje ou amanhã vá praticamente embora e semana que vem tem mais. Mais prova, mais tensão e ansiedade. O trabalho que me endoidou no feriado foi adiado para semana que vem. Amanhã tiro o dia para respirar e sexta-feira o jogo no modo hard recomeça.

 

Anúncios

5 comentários em “Azedinha

  1. Senhorita Azedinha… rs
    Se não faz, já pensou em meditação? Quem faz e quem entende do assunto diz que bastam poucos minutos, todos os dias, para em pouquíssimo tempo haver uma melhoria considerável na qualidade de vida. E os sintomas que você menciona parecem-se muito com sintomas psicosomáticos por causa da tensão acumulada, que muitas vezes por estarmos tão habituados nem sequer percebemos. E ninguém merece viver tenso assim… rs
    Beijinhos.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu tentei ouvir música clássica que um amigo disse que seria bom para relaxar. Enquanto estava ouvindo até foi bom, depois parece que fiquei hiper sensível com sons. Qualquer barulhinho já estava neurótica. Meditação em si acho interessante, nunca tentei… talvez realmente seja uma boa aprender mais sobre.
      ;*

      Curtido por 1 pessoa

  2. Existem dias onde tudo dá errado mesmo, porém espero que ao menos algo de bom tenha acontecido e que você tire uma boa nota nessa prova. Não podemos deixar esses empecilhos sobrepor-nos. Claro, é bem difícil, mas há vários métodos para controlarmos nossas emoções.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s