Experiências e educação

Chega o final da caminhada na faculdade e começamos a pensar em experiência. Experiência e essa palavra recebe então o sentido de conteúdo de currículo. Mas é só isso? A educação atual vira e mexe reduz assuntos, temas e condutas a definições frias e limitadoras. Mas e o futuro? O tal emprego do futuro. Cabe tanta frieza naquilo que estamos construindo para o amanhã?

Eu penso que não. E mais que o meu currículo profissional minha vida é preenchida de experiências que me tornam uma pessoa melhor até na profissão que escolhi ainda que o mercado não saiba interpretar isso. E por incrível que pareça quanto mais estudo, busco aprender, descubro que as coisas mais simples podem ter mais significados que anos de cursos ou conhecimento formal.

Fui criada em um sitio, já tive marrecos, gansos, gatos, vi partos, ovos chocando, animais morrendo, cuidei de animais atropelados. São coisas simples que me amadureceram, me deram lições, me marcaram. Mas me marcaram de fato pelo tempo que dediquei as essas coisas, pelo carinho que depositei e de certa forma puderam então compor a minha história.

Também tenho um longo currículo de gratidão ao esporte que me ensinou sobre paixões e habilidades que eu nunca imaginaria. Gosto de ensinar mesmo quando sei pouco mais, sou do tipo que incentiva, que elogia a cada evolução. Não desisto fácil, sou teimosa, disciplinada, detesto errar, mas corrijo erro com treino, não com culpas.

Sou fascinada pelos esportes pelos quais passei, tenho carinho gigantesco pelas equipes, pelas academias, por professores. Lembro de cada ensinamento, cada tipo de aula, mais uma vez tudo por conta do tempo e concentração dedicados a cada pratica. Sai de um cenário de sedentarismo, mau humor e inabilidade para o oposto, como se eu tivesse nascido para o esporte.

Comecei na academia para ajustar o peso, gostei. Gostei porque fiz amigos, me permiti conhecer todo mundo, professores, colegas colaboradores e isso fez com que a experiência se mostrasse a mais positiva possível. Dedicava muito tempo na academia desde o inicio. Logo evolui e busquei atividades mais intensas e cheguei ao rugby e as corridas de rua.

E mais uma vez me dediquei, me desafiei a me tornar cada vez melhor. Em nenhum dos casos fui muito vaidosa porque nunca tive habilidade em esportes então comemorava qualquer avanço. E assim fui melhorando. No rugby quase sempre no meio dos meninos, na corrida com pessoal mais experiente, sempre por diversão.

Hoje sou considerada atleta até quando estou com condicionamento em baixa, como no momento. Sou determinada, focada e destemida, na maioria dos casos relacionados a esporte. E isso me tornou muito mais confiante. Mesmo com toda a timidez que ainda existe em mim me sinto capaz, isso se reflete em tudo que faço, foi indispensável para me tornar alguém que eu gosto de ser.

Atualmente busco com frequência o jiu-jitsu e gostaria de conseguir conciliar com cross fit também. Nem sempre consigo pois lidar com empreendedorismo e engenharia também consomem muito tempo. Ainda tem a necessidade de aprender o inglês, os gatos, a família.

Porque disso tudo agora? Bom estou participando da criação de uma startup de educação que oferece experiencias não convencionais para ajudar as pessoas a se tornarem melhores. E comecei a pesquisar um pouco sobre o embasamento teórico que está por trás de tudo isso.

Parece que não é de hoje que se fala da importância das experiências na formação do individuo. O que marca a qualidade do momento vivido é a concentração que a pessoa emprega e a disposição para se despir de vaidades e se entregar ao momento. Os vilões são as cobranças, inseguranças, que impedem a diversão e fluidez de cada atividade.

Me faz pensar na infância que vire e mexe é possível ouvir relatos saudosos desse tempo. E no final o que a criança tem e é difícil para o adulto sustentar é a capacidade de fluir, de não ver o tempo passar, de se entregar a aquilo que está gostando de fazer e esquecer responsabilidades. É isso que o adulto precisa e sente falta.

E essas experiências de qualidade são importantes por possibilitar crescimento e satisfação pessoal. É muito mais fácil se desenvolver ao encontrar as chamadas experiencias estéticas, são situações que te colocam nesse estado infantil de se concentrar a ponto de esquecer tudo que não faz parte daquilo que está sendo executado.

É uma capacidade comum também em atleta de alto desempenho, através dessas atividades sendo executadas de forma instintiva, seja por espontaneidade, treino ou por prazer e faz com que esses momentos sejam guardados de maneira especial que como consequência tem efeitos positivos e pode ser uma maneira eficaz de ensinar, curar, re-significar.

Talvez eu seja suspeita para falar sobre o assunto, faz sentido no meu dia-a-dia, quando mostro quem eu sou. Ou melhor, quem me tornei por viver o que vivi. Eu acredito que mais pessoas podem se beneficiar com esse tipo de sentimento, basta ter oportunidades para viver momentos significativos, conhecer pessoas com histórias diferentes e se permitir viver, abrir mão da necessidade de se comparar, ser melhor, para ser humano, falível, aprendiz.

E eu sinto, sinceramente, que tem muito para dar certo. Pois queremos a colaboração de todos, o apoio de todos, ajudar a todos, de um jeito bem democrático e gentil. Unir pelo momento de prazer, em diferentes desafios se deslocando da zona de conforto para aprender sob novas perspectivas. Eu acredito, gosto e espero que dê certo.


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s